NOTA: A quem consulte e aprecie este blogue e possa contribuir com comentários, críticas ou correcções têm a minha consideração.
Aqueles que por seu entendimento, possam ser proprietários de alguns elementos fotográficos, e pretendam a retirada dessa foto, agradeço que me seja comunicada para evitar constrangimentos pessoais.

Obrigado.

13 de abril de 2014

Casa do Valinho - Beire

Rua do Valinho, freguesia de Beire, Paredes - Portugal

A pedra de armas dos Pacheco Portocarreiro está aplicada, entre as ameias do portal da Quinta. Pela diferente qualidade do granito é perfeitamente visível que terá sido colocada posteriormente.
Na casa e quinta nasceram e morreram Manuel Pacheco Pereira e Maria Benedita Moura Coutinho, pais de João Pacheco Pereira, fidalgo da Casa Real, 8º senhor de Valinho, Comendador da Ordem de Nª. Srª. da Conceição de Vila Viçosa.
Nasceu em V. N. de Gaia, em 1811 e terá casado com Maria Adelaide Portocarreiro, tendo falecido em Paredes, a 1908, com 97 anos de idade.
Foi administrador do Concelho de Paredes (28/7/1851), juiz de Paredes (1845), advogado e capitão de D. Miguel, aquando da guerra civil (período do Cerco do Porto).
As armas apresentam um escudo português ou boleado, com ponta, partido, com a leitura de em I - Pacheco e II - Portocarreiro.
A coroa será de Marquês. É uma pedra muito simples e um trabalho de canteiro de fraca qualidade.
(informação tirada de:
 http://gw.geneanet.org/favrejhas?lang=en&p=joao&n=pacheco+pereira)

12 de abril de 2014

"Caretos" em muro de casa à beira-mar - Lavra




Rua de Angeiras, nº 24, Freguesia de Lavra, Matosinhos - Portugal

Estas imagens "curiosas" estão aplicadas no correr de um muro de uma casa situada em Lavra, junto à praia. Não sei explicar o seu significado, contudo a ultima imagem aponta ser a simbologia de um pescador (?) e a penúltima uma senhora com uma cesta à cabeça. As restantes não tenho qualquer palpite!

5 de abril de 2014

Brasão no cemitério da Foz do Douro - Porto

Cemitério da Foz do Douro, Porto - Portugal

Brasão da família Tavares e Távora, do período do séc. XX.
É uma pedra de armas aplicada sobre a entrada de jazigo cujo escudo é Português ou boleado, em granito e partido, em I - Tavares e II - Távora, com bordadura em que está uma inscrição em latim "QUAS QUNQUE FIDIT".
No seu canto superior direito, apresenta uma diferença de uma brica com um trifólio.